Estes são os comentários do vocalista Ricardo Caulfield sobre as músicas do cd. 

O cd 15 abismos

As músicas:

DE OLHOS BEM ABERTOS: "É um punk-rock com um refrão bem hardcore. O Tïtulo faz referência ao fime "De olhos bem fechados"do Stanley Kubrick, foi uma maneira de homenagear o diretor de laranja Mecânica. De certa forma, é uma música que também remete a outro título bem sadomasoquista "I wanna be your dog" dos Stooges. Sem dúvida, uma música bem agressiva.

 PARAÍSO: Foi a primeira que gravamos quando entramos no estúdio, mas jogamos a versão fora e a gravamos novamente, A letra é levemente sadomasoquista, guardando uma certa aproximação com a faixa anterior. Diz a letra: "Eu não quero ir para o paraiso/ admirar o que não acredito/ quero ficar no planeta terra/ eu acho linda esta guerra" É outra faixa bem hardcore.

 EU DEFENDO A LEI pt1 e 2: Na parte 1, Marcio juntou dois riffs seus e eu sugeri que fosse acelerando. Começa arrastada e vai num crescendo, combinando com a letra sobre a polícia. A parte 2, era uma música que eu já tinha feito, mas com outra letra. Eu rescrevi as estrofes para que pudesse ser uma continuação da primeira parte. E acho que a combinação deu certo.

 CRIME PERFEIRO: É uma das mais rápidas e pesadas. É meio slayer, dorsal atlântica, ratos de porão, ou seja, é muito porrada. A letra não é um elogio da violência, mas uma pergunta: como seria a vida humana se já nascêssemos com o destino traçado?

 OLHOS VERMELHOS: Foi uma das primeiras composições que fizemos em parceria, eu e Márcio. Algumas pessoas podem achar que trata de drogas, mas acho que a letra se encaixa em tudo, inclusive, sobre o estado de euforia que a paixão traz. É sobre descontrole, depressão e estados alterados. É a música que tem mais vocais variados, e também a única em que eu canto, ao invés de gritar.

MEDO: Acho que esta é uma das que tem a parte instrumental mais elaborada.Com partes lentas, hardcore, um trecho meio tribal e solos de guitarra.

 A VIAGEM: Esta é meio motorhead. Acho que a letra é apenas um aglomerado de frases debochadas, meio desconexas. É uma das que mais gosto de cantar. Consegue ser alucinada e moralista, ao mesmo tempo, tudo isto sem ficar em cima do muro!

QUEM VIVE DE JURAS: Esta começa com um riff doentio, que soa bem original. Há vários climas nesta música, além de uma letra sobre desilusão. "Sobreviver é matar a sensibilidade" é uma frase tirada de um filme francês francês com Yves Montand

VERDE E AMARELO: É uma letra bem violenta, mas para ser entendida como uma metáfora do que é o nosso país, com políticos corruptos e o povo morrendo de fome. O som é muito pesado, meio DRI, mas com uma parte mais lenta no fim. Candidata a hino!

A REALIDADE É/TUDO QUE EXISTE/ AMBIÇÃO: Esta seqüência tem um clima pesado e deprimente. É sobre uma pessoa que começa a contestar os próprios valores e entra em depressão, sem ter um novo referencial para se escorar ! Em AMBIÇÃO, o nosso personagem opta pela própria morte, mas nem assim escapa de um veredicto.

HOMEM EM FASCÍCULOS: Quando criança ficava pensando no Céu, naquele modelo proposto pela Igreja, e ficava achando que ia ser um tédio: todos de branco, bem santos, ouvindo músicas celestiais. A perfeição sempre me sugeriu algo padronizado, em que todos pensassem igual. Achava um modelo meio fascista. Só que hoje em dia as pessoas estão cada vez mais iguais, com idéias e modos mais parecidos...e é bem diferente do paraiso! A música é sobre como seria chato se tivéssemos todos as mesmas opiniões.

DESTRUIR: Puro barulho, com uma letra sobre a revolta contra tudo que oprime o ser humano. No fim da faixa, gravei várias guitarras solo, todas fazendo o máximo de ruído !

ORAÇÃO PARA OS INVEJOSOS: Esta mistura uma mensagem positiva com uma boa dose de ironia. Acho que é uma das faixas mais bem executadas do disco, com grande alternância de andamentos. Há o maior solo de guitarra no disco e uma letra com trecho inspirado em uma crônica do livro Os Famintos, de Thomas Mann.

contatos: Ricardo Caulfield - ricardocaulfield@hotmail.com / ricarodo@vilipendio.com

Voltar