VIGIA OU VAMPIRO

Rasteja para não ser pego
Desculpas são o seu dialeto
A noite em claro é o seu dia
Enquanto uns dormem, ele vigia

Os olhos fixos no palco
Os olhos são os seus tentáculos
De longe, ele tem a sensação
De longe, os outros cabem nas mãos

Ele tem olhos de vigia
Mas dizem que, na verdade, ele é um vampiro

O pensamento ecoa mudo
Porque o silêncio responde a tudo
Ele é a estátua, a esfinge
O prazer na vertigem

refrão

Brotam no computador
Janelas para o esplendor
Colecionando a sua imagem
E você está em toda parte

Os olhos fixos no palco
Os olhos são os seus tentáculos
A noite fácil e quente
O véu noturno é transparente

 

Voltar