VERDE E AMARELO

Ele matou a própria família
Dizimou, esquartejou
E fez uma sopa com os restos
Os móveis ficaram impregnados de sangue
O tapete vermelho como o inferno

A polícia chegou e aplaudiu
Ela tem que reconhecer que é preciso aprender
Para conseguir uma violência igual
Ou pelo menos, do mesmo grau

Após o assassinato, o autor
Escapou bêbado e alucinado
Orgulhoso de seus atos

Ele foi procurar um cargo de síndico
Em algum edifício pintado de verde e amarelo!
Verde e amarelo!

Voltar